Acesse e Curta a Fan Page

CURTA A FAN PAGE O PANTERA TRICOLOR NO FACEBOOK

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Botafogo 2 x 4 Bragantino - Falhas defensivas foram decisivas.

Não foi como desejavamos. Estreiar com derrota em casa, onde temos apenas 9 mandos de campo, é preocupante.
A torcida fez sua parte, compareceu em grande número, apesar do alto valor do ingresso.
Logo no início, uma falha muito grande do goleiro Paulo Musse colocou o Botafogo em condições difíceis. O Bragantino após o gol marcado se fechou e começou a jogar no contra ataque. O pantera jogando no 4-3-3 foi para frente e teve chance de empatar mas o zagueiro do Bragantino desviou a trajetoria da bola que já tinha endereço.
O castigo veio em seguida, após uma falta marcada da direita, o bom entrosamento e agilidade dos jogadores do Bragantino fez com que a zaga do Botafogo ainda desentrosada perdesse na antecipação de jogada e o atacante Maláquias frente a frente com o goleiro desviou de cabeça.
Não dava para esperar muito do segundo tempo, pois a zaga falhava e o ataque sofria com a marcação do Braga, mesmo com três atacantes também no segundo tempo, quem fez gol foi o time visitante, onde após jogada pela direita o lateral venceu a corrida e cruzou rasteiro para que novamente um zagueiro tricolor fosse antecipado e a bola dormir no fundo de nossas redes.
Após o terceiro gol, a torcida começou a apoiar e após uma jogada tumultuada o jogador Gustavo impediu o gol tricolor com as mãos e foi expulso.
Penalti convertido por Thiago Silvy e com a vantagem númerica de jogadores, o pantera cresceu e conseguiu logo o segundo gol após cruzamento perfeito de Silvy pela direita onde Frontini matou a bola e fuzilou.
Neste momento a torcida panterina inflamou, o Pantera dominava mas, os laterais eram marcados fortemente e raras foram as chances de gol. Frontini após cruzamento cabeçou no canto baixo do gol, mas Gilvan fez um milagre tirando a bola para escanteio.
Após uma falta pela esquerda, a defesa do pantera deu bobeira e Pará fazendo finta desconcertante no zagueiro Julio César e ficando de cara para o gol, marcou o quarto gol, que foi uma ducha de água fria no Fogão. E nada mais pode ser feito.
A torcida ficou irritada com as falhas e má apresentação do goleiro Paulo Musse, mas é importante ressaltar que a defesa colaborou nos três ultimos gols panterinos.
O placar foi elástico, mas foi por causa que o Botafogo não deixou de tentar a vitória, em momentos muito próxima e em outras muito dificeis.
Ofesenvimente o time atuou bem, mas os laterais precisam de uma melhor condição de jogo e se arriscar mais cruzamentos, Rudnei podendo desfalcar o pantera por 15 dias era destaque da partida, mas a contusão obrigou Jonilson estrear mesmo sem sua melhor forma física.
Thiago Silvy, Branquinho e Frontini fizeram boas jogadas, e o trio ainda dará muitas alegrias.
Digo que não é momento de desanimar, é momento de analisar onde estão os erros e corrigi-los a tempo. Três rodadas fora de casa seguidas é a missão panterina, e a necessidade de marcar pontos nessas rodadas joga grande responsabildade para o elenco.

Eu acredito que com mais entrosamento e alguns trêinos táticos/técnicos a equipe vai evoluir, e que ainda teremos muitas alegrias.

Ficha técnica:
Botafogo 2 x 4 Bragantino
Local: Estádio Santa Cruz
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Renda: R$ 89.962,00
Público: 4.352 pagantes
Cartões amarelos: Cris e Pará (Bragantino) Everton e Julio César (Botafogo)
Cartão vermelho: Gustavo (Bragantino)
Gols: Pará (Bragantino) 4 1ºT e Malaquias (Bragantino) 40 1ºT; Danilo Bueno (Bragantino) 10 2ºT, Thiago Silvy (Botafogo) (pênalti) 19 2ºT, Frontini (Botafogo) 25 2ºT e Pará (Bragantino) 35 2ºT.

Botafogo: Paulo Musse; Marco Aurélio, Júlio César, Everton e Betão (Calisto); Augusto Recife, Rudnei (Jonilson) e Paulo Santos; Branquinho, Thiago Silvy (Fabinho) e Frontini.
Técnico: Arthur Neto

Bragantino: Gilvan; Cris (Da Silva), Gustavo e César Gaúcho; Somália, Moradei, Danilo Bueno, Malaquias (Bill) e Pará; Valdir Papel (Alan) e Nunes.
Técnico: Marcelo Veiga

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Campeonato_Paulista/0,,MUL968323-9839,00.html

2 comentários:

  1. Minha avaliação do time na partida de ontem:

    Botafogo 2 X Bragantino 4 ( a diferença que um goleiro faz)

    Independentemente das minhas opiniões sobre cada jogador individualmente, sou Botafogo, apoiarei sempre. Acredito no time. Mas tenho minhas opiniões críticas sobre o jogo de ontem. Serei sintético:

    1. Paulo Musse: Não serve pro Botafogo (aspectos técnicos e até psicológicos o demonstram). Tivemos goleiros melhores no ano passado. Esse cara me lembra o Alexandre no ano passado. Não querendo ser severo, mas um goleiro que não demonstra condições mínimas de ser futebolista profissional merece, por uma defesa e algumas contenções de bolas recuadas, a NOTA 0,5.

    2. Marco Aurélio: Muito fraco, deficiente na cobertura dos zagueiros em todas as bolas em que deveria agir dessa forma. Cruza com displicência. Técnica escassa. Muito, mas muito, muito passe errado. Boa condição física. NOTA 3,5.

    3. Júlio César: chegou atrasado e não impediu o cruzamento que deu origem ao terceiro gol do adversário. Sem ritmo, sequer tentou interceptar o chuveirinho que originou o segundo gol do Braga, virou as costas pra jogada. Pouca técnica, chega sempre atabalhoado na jogada. NOTA 4,0.

    4. Éverton: Levemente melhor que seu companheiro de zaga. Protege melhor a bola quando chega primeiro. Porém, se não me engano, foi ele quem tomou o corte que abriu ângulo ao quarto gol sofrido; passou reto uns bons metros. NOTA 6,0.

    5. Augusto Recife: Foi bem. Voluntarioso. Porém, não acompanhou Danilo Bueno do Braga, no terceiro gol. Por certo esperou que o goleiro interceptasse o cruzamento rasteiro na pequena área. Mas suou a camisa e apareceu pro jogo. NOTA 7,5.

    6. Betão: Boa condição física, encontrou espaços pra descer, sem receber as bolas, ou se atrapalhando com ela quando recebia. Desceu sem receio e com isso tomou bola nas costas (o setor não foi coberto pelos volantes, reflexo de um time sem treinador). Não foi bem nesse jogo, mas tem potencial. NOTA 6,0.

    7. Rudnei: Lamentável sua contusão. Queria observar mais. Muito se falou dele, mas achei afoito demais pra posição. Marcou bem, mas saiu jogando mal, e quase deu um gol ao Bragantino. NOTA 6,0.

    8. Paulo Santos: jogou? Ah sim, um meia que não ergue a cabeça, se livra da bola e não protege sua posse, não enfia uma bola pros atacantes....não é um meia! De repente ele serve na lateral. Escondido em campo. NOTA 1,5.

    9. Frontini: Mostrou vontade, movimentação, oportunismo. Certamente sentiu a ineficiência do esquema tático (ou da falta de um) e foi buscar jogo no meio campo o que não é sua função. Voluntarioso, me fez até lembrar do Willian em alguns momentos. NOTA 8,0.

    10. Thiago Silvy: Entrou em campo? Ah, sim, chutou o pênalti. No mais, se escondeu do jogo, se perdeu no ataque com 3 homens, ficando às vezes excluído da jogada pelo péssimo posicionamento. Não honra a camisa 10 do Botafogo. NOTA 3,5.

    11. Branquinho: Na minha opinião, o time é ele e mais dez. Muito esforço, bom futebol ilhado num time de péssima atuação. Procurou jogo, pediu bola, se apresentou. Além da incansável movimentação no ataque, abriu o jogo pelas pontas e recuou pra tentar enfiar bolas, dada a ausência de um meia. Faltou gente pra acompanhar a dinâmica dele. O melhor do jogo. NOTA 9,5.

    16. Jonílson: Achei que foi muito bem. Boa movimentação. Marcação com tempo de bola. Tem condição de ser titular. Saída de bola pode melhorar, com qualidade do passe. NOTA 7,5.

    15.Calisto: Forte fisicamente, fraco tecnicamente. Lhe falta velocidade e iniciativa. Pouca criatividade. Cruza com displicência. Abandona a posição. Possivelmente um volante jogando de lateral. NOTA 3,5.

    18. Fabinho: Entrou com vontade. Fez uma jogada bem objetiva. Se atrapalhou com a bola em outra, mas entrou em situação difícil. NOTA 7,0.

    Artur Neto: não se percebe o trabalho dele. Time desorganizado, sem harmonia na movimentação, sem comando. Três atacantes absolutamente jogados em campo, sem organização. Não há treino de fundamento. Mexeu de forma inócua no time, mesmo com um a mais. Apesar de todas as justificativas cabíveis, dava pra esse time render muito mais nas mesmas condições que ele teve. Sem treinador daria na mesma. NOTA ZERO.

    Arbitragem: Ruim, mas sem culpa. NOTA 4,0.

    Kanxa: ZEEEEERO!

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Bruno.

    Obrigado pela colaboração.

    Concordo com grande parte de seus comentários.

    Acredito q o problema esteve mesmo no goleiro, na zaga e tambem nos laterais.
    Não fomos capazes de desarmar e segurar contra ataques do retrancado Bragantino.
    Vamos enfrente acreditando em dias melhores... principalmente no Domingo.

    ResponderExcluir