Acesse e Curta a Fan Page

CURTA A FAN PAGE O PANTERA TRICOLOR NO FACEBOOK

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Com futebol profissional em descanso, a eleição presidencial começa a virar noticia

Sem calendário, Botafogo se volta para as eleições
(Fonte: http://www.comefogonet.com.br/sem-calendario-botafogo-se-volta-para-as-eleicoes)

Sem nenhuma competição oficial para disputar no segundo semestre deste ano, o assunto que toma conta dos bastidores do Botafogo são as eleições, previstas para outubro. O presidente Virgílio Pires Martins, que já declarou que não disputará a reeleição, pretende antecipar a escolha do novo presidente para agosto, para que a nova administração tenha um tempo maior para preparar o time para o Campeonato Paulista da Série A1 em 2010.

Presidente do Botafogo não Apoiará Aliados
(Fonte: http://www.jornalacidade.com.br/noticias/79659/presidente-do-botafogo-nao-apoiara-‘aliados’.html)

Se depender do apoio do atual presidente do Botafogo, Virgílio Pires Martins, nenhum dos pré-candidatos que estão cotados para substituí-lo serão eleitos.
Luis Antônio Pereira e Gilberto Pinhata, não serão apoiados, apesar de terem sido ex-companheiros de diretoria de Pires Martins.
O apoio do atual mandatário será exclusivo a qualquer nome que surgir da “Turma do Fosso”, como é conhecido um grupo de torcedores-conselheiros, que esteve ao lado do presidente no Paulistão. “Eles sabem que terão meu apoio, independentemente de quem seja indicado por eles. Estarei fora da presidência e de qualquer cargo na diretoria, mas seguirei apoiando, caso um deles se candidate”, disse Martins. Deste grupo, o nome mais cotado é do empresário Eduardo Esteves.

Racha
Gilberto Pinhata, atual vice-presidente do clube, não teria o apoio de Virgílio Pires caso confirme a sua candidatura. Segundo ele, isto só não acontecerá se Luis Pereira se dispor a tentar o retorno na votação marcada para o segundo semestre. O ex-presidente também não terá o apoio do ex-parceiro. A relação entre o atual presidente e os dois pré-candidatos está abalada. Martins não falou abertamente sobre os motivos. “Prefiro falar de quem poderá contar com minha ajuda”, resumiu.
Fontes ligadas ao dirigente afirmam que a discórdia entre ele e o ex-presidente Luis Pereira teria sido motivada por questões administrativas e financeiras. O desentendimento entre os dois se arrasta desde o início do Paulistão, mas vinha sendo ocultado pelos demais dirigentes que sabiam da briga.
Gilberto Pinhata, também ‘ignorado’ por Pires, não foi encontrado pela reportagem para falar sobre o assunto.

Preferidos não devem se candidatar
Apesar do apoio declarado, Virgílio Pires poderá não ter o prazer de ver um de seus preferidos assumindo o seu lugar. Da Turma do Fosso não deve sair interessados na presidência. “Ouço deles mesmos, que ninguém do grupo deles está se sentindo preparado para concorrer. Mesmo assim, reafirmo meu apoio e eles têm tempo até tomarem uma decisão”, disse Martins. Porém na opinião do presidente, o nome mais indicado para a sucessão seria de Osvaldo Festucci. Mas o atual diretor também negou o interesse no cargo. “Ao meu ver seria hoje a pessoa mais preparada para assumir. Mas temos que respeitar a decisão dele”, emendou.
Data
A eleição para presidência no Botafogo está prevista para o final de outubro. Virgílio Pires defende a antecipação para o final de agosto. “O novo presidente teria tempo de conhecer o clube.
A transição precisa ser feita com calma”, completou.

Pinhata confirma candidatura mesmo sem apoio de Martins Engenheiro civil, de 57 anos, é o atual vice e sonha assumir a presidência no final do ano

(Fonte: http://www.jornalacidade.com.br/noticias/79704/pinhata-confirma-candidatura-mesmo-sem-apoio-de-martins.html)

O vice-presidente do Botafogo, Gilberto Pinhata, de 57 anos, ratificou o seu desejo de assumir a presidência do Botafogo, mesmo sem contar com o apoio do atual presidente, Virgílio Pires Martins, que disse ontem a este A Cidade que não apoiaria nem o vice, tampouco o ex-aliado e ex-presidente Luis Pereira, que também é pré-candidato. Pinhata promete participar da disputa eleitoral, mas também revelou que abrirá mão da candidatura caso o ex-presidente, Luis Pereira queira se candidatar. “São duas situações muito claras para mim. A primeira é em torno da união dos botafoguenses. Serei candidato, mas se Luis Pereira confirmar que pretende disputar a eleição, eu abro mão e passo a integrar a chapa dele, em qualquer função”, disse Pinhata.
Sobre as declarações de Virgílio Pires, negando apoio a qualquer candidato que não seja Osvaldo Festucci (seu diretor de futebol) ou algum membro da Turma do Fosso (que não indicará nome), Gilberto Pinhata não polemizou. “O presidente tem todo direito de expor suas opiniões. Ele se dedicou ao futebol e é normal que queira indicar alguém que esteve próximo dele”, afirmou. Mesmo sendo vice-presidente no clube, Gilberto Pinhata e Virgílio Pires não se relacionam bem em razão de divergências durante o primeiro ano de gestão. Segundo Pinhata, o seu desejo de abrir mão da candidatura em benefício de Luis Pereira é por questões administrativas e não pessoais.
“O Luis tem mais experiência e foi um dos que mais bancaram o Botafogo nestes anos e merece ser ouvido. Me sinto capaz, mas abrirão mão para quem conhece mais os bastidores do futebol do que eu”, emendou Pinhata, defedendo também a antecipação do pleito. “Se o Botafogo não jogar a Copa Paulista, acho que a antecipação deveria ocorrer antes de agosto, como defende o presidente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário