Acesse e Curta a Fan Page

CURTA A FAN PAGE O PANTERA TRICOLOR NO FACEBOOK

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Notícias sobre o ComeFOGO de Janeiro/2011

Jornal A Cidade

Come-Fogo vem aí e com portões abertos
Duelo depende apenas de aprovação da prefeita para acontecer em 9 de janeiro, no estádio Santa Cruz

Rafael Gonçalves

O 133º Come-Fogo vem aí e será com portões abertos. A realização de um clássico ribeirão-pretano em 2011, custeado pelo município, foi aprovada na Câmara de Vereadores, na noite desta terça-feira (21), por 12 votos a 3 (cinco não votaram).

A realização do jogo depende de sanção da prefeita Dárcy Vera (DEM), que terá 15 dias a partir do recebimento do documento para confirmar a realização do Come-Fogo.

Dárcy já havia se manifestado favoravelmente ao clássico, mas aguardava uma proposta vir da Câmara. A realização do jogo chegou a "virar fumaça" quando vereadores e prefeita não decidiam de quem era a responsabilidade por fazer o projeto.

Cada clube vai receber R$ 100 mil. O jogo está programado para 9 de janeiro, às 16h, no Santa Cruz.

"A Câmara de Vereadores está vendo o trabalho sério realizado nos dois times. Esse jogo é um reconhecimento por tudo o que está sendo feito", comentou o diretor de futebol do Comercial, Rogério Vieira.

A proposta do clássico foi apresentada pelo vereador Oliveira Júnior (PSC). "Comercial e Botafogo levam o nome de Ribeirão Preto. Nada mais justo do que apresentarmos esse pacto", discursou o Oliveira. Votaram contra a destinação da verba os vereadores Jorge Parada (PT), Gilberto Albreu (PV) e Gláucia Berenice (PSDB).

Os R$ 200 mil sairão da sobra do orçamento da Câmara. Neste ano, R$ 6 milhões deveriam ser devolvidos aos cofres municipais. "É um dinheiro que vai ajudar muito nas viagens e concentrações", emendou Vieira.

Ao final da votação, a tocida do Comercial presente na Câmara exibiu uma faixa enaltecendo o ‘Come-Fogo da Paz’.

Amistoso

Ribeirão Preto não recebe um Come-Fogo amistoso há 15 anos. O último foi em 1996, no Palma Travassos, e terminou com vitória do Tricolor por 2 a 0.

Fonseca é contra

O técnico Roberto Fonseca, do Botafogo, foi direto quando perguntado se a realização do Come-Fogo do dia 9 pode prejudicar a preparação do Pantera para o Paulistão. "Lógico que atrapalha", disse o treinador.

Segundo ele, o jogo é de alto risco. "Sou funcionário do clube e vou acatar o que a diretoria definir, mas não posso correr o risco de perder um jogador para o Paulistão. Só jogará quem estiver em condições", comentou.

O treinador afirmou ainda que o jogo é diferente dos demais. "Já comandei o Botafogo em quatro clássicos e nunca perdi. Mas sempre valeram três pontos", afirmou. Ao ser confirmado para o dia 9, o Botafogo terá que cancelar um jogo-treino contra o Monte Azul, no dia 8, no estádio Santa Cruz.


Em janeiro, Botafogo e Comercial devem se pegar
O projeto para a realização de um Come-Fogo festivo foi aprovado, nesta terça (21/12), pela Câmara de Ribeirão

Luís Augusto/Especial para Gazeta de Ribeirão

O projeto da realização de um Come-Fogo festivo no início do mês de janeiro foi aprovado, nesta terça-feira (21/12), pela Câmara de Ribeirão Preto. Apenas os vereadores Gilberto Abreu (PV), Gláucia Berenice (PSDB) e Jorge Parada (PT) deram votos contrários ao projeto, que agora só depende do aval da prefeita Dárcy Vera (DEM) para ser aprovado e sair do papel. A ideia consiste em criar uma data todos os anos no mês de janeiro para realizar o clássico do futebol de Ribeirão Preto, e assim promover uma festa ao torcedor que terá entrada franca no dia do duelo. Para que o jogo aconteça com portões abertos, cada clube receberia R$ 100 mil do montante que é devolvido pela própria Câmara aos cofres públicos a cada fim de ano.

Representantes de Botafogo e Comercial acompanharam a votação e comemoraram a decisão. “O Come-Fogo é uma festa e tenho certeza que isso não pode acabar, e evidente que o dinheiro também vem em boa hora”, disse Gilberto Pinhata, vice-presidente de comunicações do Botafogo. “O Come-Fogo é um patrimônio da cidade e vai servir para aproximar o torcedor novamente, e o dinheiro poderá ser investido no clube”, declarou Maurício Righetti, presidente do Conselho Deliberativo do Comercial.

Durante a reunião desta terça, alguns pontos também começaram a ser definidos. O clássico deve ser disputado no dia 9 de janeiro, um domingo, no estádio Santa Cruz, já que o Palma Travassos está em reforma. O que pode atrapalhar a realização do Come-Fogo no estádio do Tricolor são os jogos da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

No dia 9 de janeiro tem rodada dupla da competição. O projeto deve ser encaminhado, nesta quarta-feira (22/12), para Dárcy Vera, e após o posicionamento da prefeita, os clubes irão se reunir para definir local e dia para a realização do clássico.

Quem não está gostando nada são os treinadores. Roberto Fonseca e Edison Só são totalmente contrários devido aos riscos que os jogadores correm. “Como é que eu vou falar para o meu jogador maneirar? Mas quem decide tudo mesmo são os dirigentes, vamos aguardar”, disse Fonseca. “Eu acho esse clássico nesse momento completamente fora de hora”, reclamou Só.

Prefeita de Ribeirão aprova realização do Come-Fogo

Resta apenas a assinatura do projeto de lei para que todos os anos, em janeiro, aconteça o clássico

Luís Augusto/Especial para Gazeta de Ribeirão

Bastou a aprovação por 12 votos a 3 pelos vereadores na Câmara Municipal para destinar verba de R$100 mil a Botafogo e Comercial para realizar o Come-Fogo no mês de janeiro com portões abertos para que a polêmica fosse instaurada.

O projeto precisa passar pela aprovação da prefeita Dárcy Vera (DEM), e nesta quarta-feira (22/12), após a entrega da segunda etapa das obras de combate as enchentes, ela se manifestou sobre o clássico. “A verba é da Câmara Municipal, assim como a sua destinação, e os vereadores decidiram por manter esse evento na cidade e eu vou respeitar isso e deferir o projeto.”

Com o posicionamento favorável da prefeita, resta apenas a assinatura do projeto de lei para que todos os anos, em janeiro, aconteça o clássico para abrir o calendário do futebol na cidade. Entre os vereadores a discussão ainda existe e Jorge Parada (PT) foi um dos que votou contra a realização do Come-Fogo festivo. Ele acredita que a verba deveria ser destinada a outros setores do esporte. “Isso realmente não vem em boa hora, porque a Prefeitura não está com as finanças em dia e esse dinheiro da sobra da Câmara poderia ser investido, por exemplo, no esporte amador.” Glaucia Berenice também se manifestou contrária ao projeto que foi levado a votação pelo vereador Oliveira Júnior (PSC). “Os recursos públicos têm que ser destinados às prioridades, e o esporte não é uma prioridade nesse momento. O Come-Fogo poderia ser viabilizado com dinheiro da iniciativa privada.”

A polêmica segue também nos clubes. O estádio Santa Cruz foi apontado para receber o clássico que pode acontecer no dia 9 de janeiro, a uma semana do início das Séries A1 e A2 do Campeonato Paulista. Os dirigentes das duas equipes comemoram a verba que será recebida, mas quem trabalha diretamente com os jogadores não está gostando nada da ideia. “Isso vai atrapalhar a nossa preparação e você pode ter certeza que o time que jogar o Come-Fogo não vai ser o mesmo que vai estrear contra o Palmeiras no Paulistão”, garantiu Roberto Fonseca, técnico do Botafogo.

Um comentário:

  1. PARABÉNS AOS POLÍTICOS DE RIBEIRÃO PRETO, NÃO DEVE ESTAR FALTANDO DINHEIRO NA CIDADE, O ASFALTO DEVE ESTAR EM ORDEM, AS OBRAS CONTRA AS ENCHENTES TODAS FEITAS, O SANEAMENTO DAS CONTAS PÚBLICAS IDEM.

    ResponderExcluir